Conceito

A vigésima edição do Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais ocorrerá de forma completamente remota em 2021, devido à pandemia do COVID-19. Com cada participante @home, propomos uma “organização local” sediada no Brasil como um todo, ao invés de em uma cidade específica. Dessa forma, podemos celebrar ainda mais a diversidade na pesquisa e cultura que, ao longo dos anos, construiu no Brasil uma comunidade de IHC sólida, multifacetada e plural. Assim como a população no nosso país, a comunidade de IHC brasileira é composta por diferentes cores, sotaques e costumes – uma riqueza de fatores humanos que reflete na diversidade das nossas pesquisas.  Nosso tema evoca a interação entre a comunidade no evento, apesar do distanciamento geográfico, e também a pesquisa na área de IHC realizada em torno de todo o país, quando faz referência ao nosso extremo norte geográfico (que é o Caburaí (RR) e não o Oiapoque) e ao extremo sul, no Chuí (RS). 
Caburaí ao Chuí? longe, mas perto.
iIustração do sabiá-laranjeira. (in english: Orange trush illustration)
Ilustração de Maryanna Araújo Lima

Escolhemos o sabiá-laranjeira, ave símbolo nacional, para ser incorporado ao tema do evento como mascote. São diversos os aspectos que fazem do sabiá o símbolo mais adequado ao tema proposto para o IHC 2021. O sabiá-laranjeira ocorre em todas as regiões do país, pois se adapta a tudo, desde que haja árvores e água, o que o torna um representante nato da comunidade de IHC brasileira, que tem sido forte e crescido em meio a diferentes adversidades.

Apesar desse traço característico, assim como tantas vezes observamos em nossas pesquisas, o sabiá aponta para diferenças contextuais, pois o pássaro assume outras denominações em regiões diferentes. Por exemplo, ele pode ser caraxué (no Amazonas), sabiá-coca (na Bahia), sabiá-laranja (no Rio Grande do Sul) e ainda sabiá-de-barriga-vermelha, sabiá-ponga e sabiá-piranga em lugares diferentes. 

E, se alguém, até aqui, ainda não identificou suas pesquisas em IHC com “a majestade, o sabiá”, saiba que ele aponta também para as diferenças individuais que torna cada pessoa única, visto que o canto deles é individual. Nenhum sabiá-laranjeira canta igual ao outro. Inclusive, em tupi, sabiá significa “aquele que reza muito”, em alusão à voz dessa ave. Segundo uma lenda indígena, quando uma criança ouve, durante a madrugada, no início da primavera, o canto do sabiá, será abençoada com muita paz, amor e felicidade. 

Além de cada um desses fatores ser representativo da nossa comunidade, há ainda uma beleza poética que precisa ser ressaltada, pois destaca nossa diversidade cultural e folclórica: o sabiá-laranjeira é citado em mais de 20 músicas de renomados compositores da música popular brasileira, assim como nos versos de Gonçalves Dias, que para sempre imortalizou a terra das palmeiras onde canta o sabiá.  Durante o evento, seguindo a linha conceitual desta simbologia, pretendemos explorar aspectos culturais das diversas regiões do país, durante os social breaks e demais programações.

Por fim, para compor a identidade visual do IHC 2021, adotamos uma paleta de cores derivada do Sabiá-laranjeira em adição a outros símbolos nacionais (Ipê Amarelo e flor do Pau-Brasil), para serem trabalhados na marca, mascote, site e todo o material produzido.

Alguns voluntários da comunidade propuseram ideias de marcas para o IHC 2021. Embora o Comitê de Organização tenha selecionado a apenas a opção que está sendo utilizada no site, gostaríamos de reconhecer o dedicado trabalho de todos. Assim, você pode ver abaixo as diferentes ideias e o conceito por trás de cada uma delas! Selecione uma opção para ler a descrição do seu conceito e seus autores.