XXI Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais

de 17 a 21 de Outubro de 2022

Diamantina - MG, Brasil

O Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais (IHC) é um evento itinerante e a cada ano acontece em uma cidade do Brasil, para, dessa forma, atingir todas as regiões e possibilitar uma ampla participação da comunidade. Depois de dois anos acontecendo de forma remota, devido à pandemia de COVID-19, a vigésima primeira edição do Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais (IHC 2022) será realizada entre os dias 17 e 21 de outubro de 2022, em Diamantina, cidade do interior do Estado de Minas Gerais.

Com o histórico de ser realizado em cidades grandes e médias, depois de mais de 20 anos de pesquisa da comunidade de Interação Humano-Computador no Brasil, o evento acontece pela primeira vez em uma cidade de pequeno porte. Assim, a comunidade brasileira de IHC voltará a se reunir presencialmente em um local onde seus participantes poderão desfrutar de uma maior proximidade física e do aconchego, típicos das pequenas cidades do interior mineiro.

O IHC 2022 convida a comunidade científica a explorar os “Caminhos da Interação“, em referência não somente às estradas percorridas pelos membros da comunidade de IHC, para se reencontrarem presencialmente, em Diamantina, mas também aos caminhos que vêm sendo traçados pela pesquisa em IHC no Brasil e no mundo.  

Fazendo uma alusão aos caminhos que convergem e se cruzam em prol de um objetivo comum, os caminhos das pesquisas em Interação Humano-Computador no Brasil têm o seu maior entroncamento no IHC. Este tem sido um grande fórum onde ideias são apresentadas e discutidas entre a comunidade científica, no sentido de avançar as pesquisas relacionadas a design, uso e avaliação de tecnologias para melhorar a vida das pessoas, bem como ao seu impacto na sociedade.  

Diamantina

Uma cidade rica em cultura e história

Localizada na região centro-norte de Minas Gerais, a 285 km de distância de Belo Horizonte, Diamantina possui cerca de 47.000 habitantes. A cidade é um dos destinos da Estrada Real, um dos roteiros culturais e turísticos mais ricos do Brasil, e faz parte do circuito turístico dos Diamantes. Com um patrimônio arquitetônico, cultural e natural rico e preservado, no final da década de 90 Diamantina recebeu da UNESCO o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Atualmente, Diamantina é uma das cidades históricas mais conhecidas e visitadas do país. O casario colonial, de inspiração barroca; as edificações históricas; as igrejas seculares; a belíssima paisagem natural e uma forte tradição religiosa, folclórica e musical conferem uma singularidade especial à cidade.

Durante todo o ano acontecem eventos culturais em Diamantina e região, como Festival de Gastronomia, Festival de Música, o tradicional carnaval, que atrai turistas de todo o Brasil, e a famosa Vesperata. Além disso, Diamantina é a cidade natal de personalidades como Juscelino Kubitschek e Xica da Silva, cujas residências foram preservadas e são abertas a visitação.

Marca do IHC 2022

fotos-site-07

Diamantina, um símbolo de Cultura Interação Humanidade

O símbolo deste ano busca representar o conjunto arquitetônico característico da cidade. A edificação histórica que serviu de inspiração para a marca foi a Casa da Glória. Através de linhas, formas e traços minimalistas construiu-se uma representação dos dois casarões interligados por um passadiço que representa a conexão e o meio onde pessoas podem transitar entre os locais por sobre a rua.

Este simbolismo destaca o principal objetivo do evento em discutir, pesquisar e promover o avanço da tecnologia em suas múltiplas interações com as pessoas. As cores azul e branco são as cores principais da identidade visual, uma característica muito presente nas obras da cidade, com o passadiço em destaque com um tom de azul claro.

Casa da Glória

Integrada por duas edificações dos séculos XVIII e XIX ligadas por um passadiço, já abrigou o colégio das irmãs vicentinas e hoje é sede do Instituto Casa da Glória, da UFMG. Acredita-se que a Casa foi construída entre 1775 e 1800. Não se sabe ao certo o responsável pela obra, mas acredita-se que tenha sido Manuel Viana, marido de Dona Josefa Maria da Glória que residiu na casa até 1813, daí provindo a denominação “Casa da Glória”.

Ícone da cidade de Diamantina, o chamado “Passadiço da Glória”, que encanta pela sua graciosidade, foi construído para ligar as duas casas que funcionavam como educandário e orfanato. A obra se integra à paisagem diamantinense e foi símbolo da campanha ‘Diamantina – Patrimônio Cultural da Humanidade’.

Conheça o IHC

O Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais (IHC), promovido pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC), através da Comissão Especial de Interação Humano-Computador (CEIHC), é o principal evento científico da área de Interação Humano-Computador no Brasil. O IHC tem sido bem-sucedido na missão de divulgar resultados de pesquisa, atraindo pesquisadores, professores, estudantes e profissionais da indústria interessados em investigação científica e prática relacionadas à criação, construção e avaliação de soluções computacionais para uso pelas pessoas. A integração de diferentes perfis, resultantes da interdisciplinaridade inerente à Interação Humano-Computador, resulta em um ambiente vibrante para troca de ideias sobre trabalhos em andamento e propício para o surgimento de parcerias, projetos, orientações, contatos profissionais, entre outros.

A primeira edição do IHC ocorreu na cidade de Maringá em 1998, como Workshop do Simpósio Brasileiro de Engenharia de Software, e desde então difundindo a pesquisa em IHC de norte a sul do país. Em 2000 o encontro ganhou autonomia e passou a integrar a série de “Simpósios Brasileiros” da SBC. Entre 2002 e 2010, o IHC foi realizado a cada dois anos, em alternância com a Conferência Latino-Americana de IHC (CLIHC). A decisão de mudança de periodicidade em 2002 visava permitir que a comunidade brasileira em formação, naquela época, tivesse prazos mais longos para realizar pesquisas empíricas com usuários e apresentar resultados mais consolidados a cada edição do simpósio.

O crescimento da comunidade, no entanto, foi muito acentuado, quantitativa e qualitativamente, de modo que, em 2010, a assembleia da CEIHC, reunida durante o IX Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais, optou por retomar a periodicidade anual do evento. Assim, em 2011, ainda em conjunto com o CLIHC, o evento foi realizado em Porto de Galinhas – PE e, desde então, vem se consolidando, com um número significativo de participantes a cada ano. Mais informações sobre as edições anteriores podem ser encontradas  na página da CEIHC.

Realização

Organização

Coordenação de Programa

Cooperação

SESSÃO TÉCNICA

Acessibilidade

  1. Developing a Set of Design Patterns Specific for the Design of User Interfaces for Autistic Users
    Dayanne Gomes (UFMA), Nathasha Pinto (UFMA), Aurea Melo (UEA), Ivana Márcia Maia (IFMA), Anselmo Cardoso de Paiva (UFMA), Raimundo Barreto (UFAM), Davi Viana (UFMA), Luis Rivero (UFMA)
  2. Flying colors: Using color blindness simulations in the development of accessible mobile games
    Mateus Carneiro (UFC), Windson Viana (UFC), Rossana Andrade (UFC), Ticianne Darin (UFC)
  3. Image Descriptions’ Limitations for People with Visual Impairments: Where Are We and Where Are We Going?
    Alessandra Jandrey (PUC-RS), Duncan Ruiz (PUC-RS), Milene Silveira (PUC-RS)
  4. Making Design of Experiments (DOE) accessible for everyone: Prototype design and evaluation
    Fabiani de Souza (CPQD), Gabriela Vechini (UNICAMP), Graziella Bonadia (CPQD)
  5. The Windows 10’s Color Filter Feature as an Aid for Color Blind People in the Use of Websites
    Isa Maria de Paiva (UNIRIO), Sean Siqueira (UNIRIO), Simone Bacellar Leal Ferreira (UNIRIO)
  6. When just Ok, is not Ok – An Experimental Study through Sequential Chronological Cuts, with Prescriptive and Semantic Analyzes on the Dynamic Translation by VLibras Avatar
    André Silva (UNIRIO), Tatiane Militão de Sá (UFF), Ruan Diniz (PUC Campinas), Simone Bacellar Leal Ferreira (UNIRIO), Sean Siqueira (UNIRIO), Saulo Cabral Bourguignon (UFF)
  7. Evaluation of Assistive Technologies from the perspective of Usability, User Experience and Accessibility: a Systematic Mapping Study
    Tatiany Xavier de Godoi (UFPR), Guilherme Guerino (UEM), Natasha Valentim (UFPR)